Índice
Conhecendo a Cidade Viva
Mudanças Repentinas
Um grito de socorro
Um presente inesperado
Redescobrindo o papel da igreja
Passando a visão
O que já aconteceu
Gravação do DVD
Centro de Convenções Cidade Viva
Centro de Reabilitação
Centro de Treinamento
Núcleo de Apoio Integral
Escola Internacional e Restaurant
Rede Cidade Viva de Televisão
Ajude a Edificar a Cidade Viva
Todas as Páginas

 

 

 

 

 

 

 

 

UMA NOVA COMUNIDADE CRISTÃ NASCE EM JOAO PESSOA

 

 

 

 

 

Como consequência de um grande crescimento experimentado pela Primeira Igreja Batista de João Pessoa, sua liderança resolveu expandir sua atuação para outros bairros da cidade. Para cumprir tal propósito, foram criadas algumas extensões da igreja, dentre elas, os então denominados Núcleos de Manaíra, do Bessa e de Cruz das Armas, que seguiam a visão, os projetos e as orientações da sede.


Depois de vários anos cumprindo a missão de Deus, sob a direção da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, o Núcleo do Bessa foi reconhecido como igreja local, no dia 05 de dezembro de 2002, e passou a usar a razão social Associação Evangélica Primeira Igreja Batista do Bessamar, inicialmente composta por 35 membros.


No dia de sua fundação, a diretoria da nova Igreja Batista foi eleita, e o Pastor Inaldo Camelo Vieira Filho foi escolhido para ser o Pastor titular, que liderou a igreja por, aproximadamente, um ano e meio, até aceitar um convite para Pastorear uma Igreja Batista para brasileiros, em São Francisco, Califórnia — EUA.

 

 


 

 

 

MUDANÇAS REPENTINAS

 

 


Com a chegada do convite oficial dos Estados Unidos, a liderança da PIB Bessamar, que logo ficaria sem Pastor titular, reuniu-se e sugeriu o meu nome para liderar a comunidade, época em que eu atuava como Pastor da juventude, responsável pela Escola Bíblica da Primeira Igreja Batista de João Pessoa e procurador da Fazenda Nacional, no Estado da Paraíba.

 

Depois de receber o convite extraoficialmente, pedi a opinião e a bênção de minha esposa Samara, dos meus pais, do Pastor Estevam Fernandes, bem como dos demais familiares e amigos mais próximos, e todos entenderam que o inesperado desafio precisava ser aceito, pois se tratava de algo oportuno e importante para o Reino de Deus. Então, depois de uma assembleia, a igreja, por unanimidade, convidou-me para liderar a PIB Bessamar, e fui empossado, no dia 25 de julho de 2004, como seu novo Pastor titular.

 


 

 

UM GRITO DE SOCORRO

 


Tudo parecia muito cômodo: um auditório à beiramar, louvor agradável, cultos inspiradores, comunidade quase toda formada por pessoas cultas e economicamente equilibradas e um Pastor recém-chegado para cuidar de quase tudo, até que os primeiros gritos de socorro, vindos do "lado de fora", começaram a tirar-nos da zona de conforto. Um dos gritos mais aflitos veio de uma senhora viúva, que passava pela Av. Argemiro de Figueiredo, onde ficava a nossa primeira sede, e que resolveu entrar à procura de ajuda. Não era de um simples aconselhamento que ela precisava. A sua dor tinha contornos vivos e assustadores, pois seu filho estava vendendo tudo o que a família possuía para alimentar o destruidor vício do crack, uma das drogas mais terríveis dos nossos tempos.


E agora? O que fazer? Como uma pequena comunidade cristã poderia cuidar de um jovem que reconheceu o seu vício e pediu socorro? Como abençoar alguém que precisaria ser tirado do convívio normal com a sociedade para ser tratado, pois vivia sendo importunado por traficantes e não conseguia parar de depender deles? Como inserir um dependente químico que buscava recuperação no meio de pessoas “perfeitas” e confor-tavelmente cristãs?


Confesso que eu não havia estudado sobre isso anteriormente. Afinal de contas, os males individuais e sociais que nos afetam e que decorrem da nossa natureza caída e pecaminosa, estão sempre encontrando novas e intrigantes formas de expressão, além de novas sutilezas forjadas para destruir a dignidade do ser humano, afastá-lo cada vez mais do Criador e levá-lo ao abismo.


Como, então, enfrentar os novos desafios do Século XXI, que também exigem a presença restauradora da igreja de Cristo, se não formos capazes de reformular e até reconstruir as abordagens missiológicas que deram certo nas décadas passadas, mas que, por muito tempo, já vêm apresentando sinais de ineficiência? Como podemos ser relevantes, em um tempo em que a igreja evangélica brasileira é, para muitos, sinônimo de alienação, e que ser Pastor é uma maneira “religiosa” de qualificar alguém como ladrão e aproveitador? Como mostrar ao mundo que a igreja local é, de fato, a expressão do amor e da glória de Deus no lugar em que foi estabelecida? Como exalar o perfume de Cristo, em um mundo que cheira mal? Como apresentar as verdades absolutas e imutáveis de Deus às pessoas, em um mundo de verdades relativas?


Foi a partir dessas inquietações que começamos a perceber que a nossa igreja precisava ser muito mais do que uma linda capela de madeira em frente ao mar. Portanto, depois de procurar, sem sucesso, um lugar em João Pessoa que unisse o profissionalismo a uma abordagem espiritual de tratamento, chegamos à conclusão de que a única maneira de ajudar aquele jovem, na-quele momento de crise, seria inter-ná-lo em um hospital psiquiátrico da rede pública, o que, após alguns dias, não mostrou ser uma boa solução e nos fez enviá-lo para tratamento em outra cidade.


Impotência e profunda frustração foram alguns dos sentimentos que tomaram conta do nosso coração. E se outras pessoas com os mesmos problemas nos procurassem? Perguntas e mais perguntas... Onde estariam as respostas? Para onde foram a tranquilidade e a comodidade dos primeiros dias? Você deve estar ficando curioso para saber!

 


 

 

 

UM PRESENTE INESPERADO

 


Indo em direção à praia de Carapibus, no mês de setembro de 2004, a fim de fechar os detalhes do nosso primeiro retiro de juventude, observei, na BR101, a cerca de doze quilômetros do centro de João Pessoa, uma grande propriedade que estava à venda. Naquele momento, o meu coração começou a bater mais rápido, pois poderíamos, enfim, adquirir a propriedade e construir o nosso Centro de Reabilitação para Dependência Química naquele lugar. Para minha surpresa, o que parecia ser um pequeno terreno com o tamanho ideal para o nosso projeto, era, na realidade, uma imensa fazenda, com cerca de 150 hectares (aproximadamente 370 acres), isto é, algo próximo de um milhão e quinhentos mil metros quadrados, área de tamanho semelhante à do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, e capaz de abrigar o Bairro de Tambaú e uma parte do Bairro do Cabo Branco dentro dela.

Afinal, para que tanta área, se só precisaríamos construir um centro de reabilitação? Além disso, como pagar aproximadamente um milhão de reais se nós tínhamos uma reserva de apenas três mil reais? Mais e mais questionamentos. Onde estariam as respostas?

 


 

 

 

REDESCOBRINDO O PAPEL DA IGREJA

 

 

 

Durante muitos anos, teólogos e cristãos de várias correntes vêm tentando opinar sobre qual seja o verdadeiro papel da igreja de Cristo. Uma grande parte defende que a igreja deve preocupar-se apenas com questões espirituais, pregando às pessoas o evangelho que salva e conduz o homem à vida eterna. As tendências dos que abraçam essa abordagem é o isolamento social e uma profunda omissão diante das demais questões que afetam a humanidade, tais como a fome, a pobreza, o avanço das drogas, o analfabetismo, a fragmentação da família, os problemas da vida urbana, a injustiça etc. No outro extremo, destacam-se os defensores do evangelho social, que mergulham nas questões políticas e sociais com afinco e dedicação, mas desconsideram que o grande problema que nos acompanha, desde a criação, é o pecado que nos afasta do Criador e dos nossos semelhantes. Para muitos deles, Jesus é apenas um exem-plo a ser seguido, e não, o único Salvador da humanidade.

Afinal, qual é o papel da igreja? Como podemos ser relevantes no mundo sem perder os fundamentos eternos contidos na Bíblia Sagrada? Como almejar o céu, sem desconsiderar que Deus já iniciou o seu Reino aqui na Terra, tendo a igreja como agência principal?

Aqueles que têm saído dos extremos acima mencionados e dedicado a vida não somente à pregação da palavra da salvação, mas que também têm arregaçado as mangas para apresentar uma proposta cristã para a transfor-mação e a condução da sociedade, têm tido a sua ação, ora chamada de missão integral, ora de missão holística, ora de evangelho integral.

Na realidade, o uso desses adjetivos dá a im-pressão de que a missão cristã não é completa, holística e integral por natureza, quando, de fato, não há missão cristã sem a visualização do ser humano como um todo, que precisa ser restaurado, e sem a compreensão de que toda a Criação deve ser amada e cuidada pela igreja.

Nesse sentido, o que Deus quer da sua igreja é que ela seja apenas autêntica e continue a obra que o próprio Jesus começou. Em outras palavras, basta sermos bíblicos quanto aos nossos princípios, valores e práticas.

O Mestre falou de vida eterna, mas também ensinou a importância da justiça fiscal através do pagamento de tributos. Pregou sobre arrependimento, fidelidade, amor, graça, perdão e santificação, mas não deixou de ensinar que devemos cuidar dos pobres, dos presidiários, dos órfãos, das viúvas e dos excluídos da sociedade.

Baseados nesse papel autêntico que a igreja precisa cumprir e diante de tantos desafios trazidos à nossa mente, a partir dos “gritos de socorro” que vinham de fora, começamos a perceber que Deus desejava confiar uma obra muito grande em nossas mãos e, por isso, estava conduzindo-nos a comprar uma imensa propriedade, que fosse capaz de abrigar os diversos projetos que começavam a brotar no solo do nosso coração. Por que, então, tanta terra? As respostas começavam a surgir e a fazer sentido.

 


 

 

 

PASSANDO A VISÃO

 

 

A visão começava a ficar clara em nossos corações. Deus estava mesmo chamando-nos a um grande desafio, mas não tínhamos nem dinheiro, nem experiência para comprar a terra e iniciar o projeto. Éramos apenas uma comunidade com cerca de 150 (cento e cinquenta membros), em setembro de 2004.

 

PLANO URBANÍSTICO DA CIDADE VIVA

Éramos simplesmente pobres pecadores, que tinham um grande sonho dado por Deus! Para Ele, isso bastava! Em uma noite inesquecível, e, após a apre-sentação de um projeto inicial para a imensa área, a visão foi passada à nossa comunidade, que a abraçou com lágrimas de alegria e comprometimento. Na apresentação, come-çamos a visualizar, com os olhos da fé, um lugar dividido em setores, como se fossem bairros de uma pequena cidade. Naquele dia, mostramos que, na Cidade Viva, iríamos ter um centro de reabilitação para dependentes químicos, um abrigo de idosos, abri-go para crianças, centros de profissionalização para jovens e adultos carentes, área de esportes, faculdade, creche, cidade da crian-ça, centro de treinamento de líderes, área para acampamentos, posto de saúde, áreas de preservação da mata atlântica, um auditó-rio principal de celebrações e eventos em geral, além de um estacionamento com duas mil e quinhentas vagas e uma praça de alimenta-ção. Tudo isso para que pudéssemos experi-mentar a bênção de uma vida comunitária cuja tônica fosse a inclusão total.

Apenas naquela noite, arrecadamos boa parte da entrada do terreno. Carros, terre-nos, computadores e joias foram doados, não como um investimento à espera de re-torno financeiro vindo de Deus, mas como um sacrifício de amor para que milhares de pessoas pudessem ter a dignidade restaurada através do Projeto Cidade Viva. Como foi linda aquela noite!

Depois de alguns meses, nossos arquitetos prepararam um plano urbanístico prévio da Cidade Viva, apresentando todas as áreas e as suas respectivas destinações. Aquele pla-no começou a habitar as nossas mentes e os nossos corações, como um retrato da visão que Deus nos deu e que Ele mesmo tem feito prosperar.

 

 

 

 


 

 

 

O QUE JÁ ACONTECEU NESTES ANOS

 

 

Muito embora tendo que pagar as parcelas da compra da Cidade Viva e sem lugar próprio para as nossas celebrações, a comunidade resolveu iniciar os projetos para a construção da primeira etapa do centro de reabilitação para dependentes químicos e, após grande esforço, inauguramos a primeira ala no final de 2005, com a capacidade de abrigar doze alunos. No final de 2008, terminamos a segunda ala e poderemos receber até 24 alunos a partir de fevereiro de 2009. Quando todo o centro for concluído, poderemos oferecer tratamento para até 50 alunos.

 

crcv

Após uma grande reforma realizada em um velho e inacabado casarão que existia na propriedade, e, cuja construção havia sido paralisada há mais de 20 anos, concluímos, em 2007, o nosso Centro para Treinamento de Liderança que começará a ser utilizado no ano de 2009 em nosso projeto de integração de novos membros e treinamento de líderes do sertão nordestino.


Com muito amor e dedicação, temos trabalhado com dependentes químicos, surdos, moradores de rua, prostitutas, crianças e adultos hospitalizados, além de várias outras ações voltadas à profissionalização, ao empreendedorismo e à promoção da dignidade daqueles que Deus nos presenteou. E estamos apenas no começo!

 

 

 

 

 


 

 

 

A GRAVAÇÃO DO PRIMEIRO DVD

 

 

Ultrapassando todos os limites impostos pela falta de recursos e de experiência, nós gravamos, no Teatro Santa Roza, em 2005, o nosso primeiro CD/DVD musical, que também foi o primeiro do gênero na Paraíba. O DVD A Palavra do Ministério Cidade Viva Music é uma prova viva de como Deus pode usar voluntários para fazer grandes coisas. Conheça e divulgue esse trabalho, pois todos os recursos provenientes da venda desses artigos vêm sendo revertidos para o Projeto Cidade Viva.

 

 

 


 

 

CENTRO DE CONVENÇÕES CIDADE VIVA

 

 

Por quatro anos, nós mudamos quatro vezes o local da realização das nossas celebrações dominicais. Do templo de madeira, fomos para uma casa de recepções (Cristal Recepções), em julhode 2004. Depois, mudamo-nos para o Colégio Pio XI, onde ficamos de novembro de 2004 até dezembro de 2006. A terceira mudança foi para a praça de eventos de um shopping (MAG Shopping), onde experimentamos grande crescimento, no período de janeiro a dezembro de 2007. Finalmente, mudamo-nos para o Centro de Convenções Cidade Viva, obra construída por um empresário paraibano, apenas com a intenção de alugar-nos. Só a história de como Deus tem usado esse empresário para nos abençoar caberia em um livro. Não fique curioso! Um dia você saberá os detalhes. É importante ressaltar que o Centro de Convenções continuará a ser a sede administrativa da Igreja e da Fundação Cidade Viva, quando mudarmos as celebrações dominicais para a BR101, além de continuar sendo o local das nossas atividades no meio da semana.

 

 

 

 

 

 


 

 

CENTRO DE REABILITAÇÃO PARA DEPENDENTES QUÍMICOS

 

Embora tendo que pagar as parcelas da compra da Cidade Viva e sem lugar próprio para as nossas celebrações, a comunidade resolveu iniciar os projetos para a construção da primeira etapa do Centro de Reabilitação para Dependentes Químicos e, depois de grande esforço, inauguramos a primeira ala no final de 2005, com a capacidade de abrigar doze alunos. No final de 2008, terminamos a se-gunda ala e passamos a receber até 24 alunos. Em dezembro de 2010, terminamos a terceira ala e poderemos receber até 36 alunos. Quando todo o Centro for concluído, poderemos oferecer tratamento para até 52 alunos.

Nos últimos dois anos, muitas coisas aconteceram. Os alunos e suas famílias receberam acompanhamento psicológico diferenciado. O esporte foi vivido por eles de forma intensa, através do futebol, vôlei, escalada, trilhas, canoagem e jiu-jítsu, trabalhando não só o exercício físico, mas o envolvimento comunitário, a superação de limites e o raciocínio lógico. Foram oferecidos cursos na área de telemarketing, eletricidade, panificação, empreendedorismo, mosaico, música, técnicas agroecológicas, além de aulas de informática e noções de marketing pessoal.

Desenvolvemos ainda mais nossa conexão de ex-alunos como mais uma ferramenta de prevenção à recaída: após o tratamento, o aluno é encaminhado para um pequeno grupo e, além do cuidado semanal que recebe dele, também recebe o apoio individual de um amigo, a quem chamamos de discipulador, que o lembrará que ele não está só na luta contra as drogas. Todas essas atividades serviram como ferramentas no processo de restauração da dignidade de cada um deles.

Em virtude da grande procura por tratamento, uma grande lista de espera formou-se, o que nos incentivou a criar o “Corredor da Vida”, que consiste na realização de reuniões semanais de apoio ao dependente e a seus familiares, até que sua entrada no Centro de Reabilitação Cidade Viva seja efetivada. Com a graça de Deus, temos visto pessoas serem restauradas já nessa etapa do tratamento. E muito mais ainda está por vir...

 

 

 

 

 


 

 

 

 

CENTRO DE TREINAMENTO DE LIDERANÇA

 

 

Após uma grande reforma realizada no velho e inacabado casarão que existia na propriedade, e cuja construção estava paralisada há mais de 20 anos, concluímos, em 2007, o nosso Centro de Treinamento de Liderança, que começou a ser utilizado em nosso projeto de integração de novos membros e treinamento de líderes.

Com muito amor e dedicação, temos trabalhado com dependentes químicos, surdos, moradores de rua, prostitutas, crianças e adultos hospitalizados, além de várias outras ações voltadas à profissionalização, ao empreendedorismo e à promoção da dignidade daqueles que Deus nos presenteou.

E estamos apenas no começo!

 

 

 


 

 

NÚCLEO DE APOIO INTEGRAL

 

 

Em 2005, reunimos um grupo de voluntários apaixonados por vidas e alugamos uma pequena casa para realizar trabalhos em prol de muitas famílias, com diversos tipos de carências, que moravam na comunidade São José, vizinha ao nosso terreno na BR 101. Vivemos muitas lutas, até que, em 2008, transferimos os nossos trabalhos para o loteamento Terra Bela e alcançamos uma comunidade de 120 famílias em situação de maior vulnerabilidade social. Como parte da nossa missão, temos trabalhado para
promover a restauração da dignidade de muitas famílias. Vidas têm sido transformadas. As crianças têm aulas de reforço escolar, aperfeiçoamento na leitura e estudam a Bíblia. Cursos de capacitação na área da beleza são realizados para abrir oportunidade de trabalho, além do suprimento básico com doações e acompanhamento familiar com base nos valores e nos princípios cristãos.
Em um momento especial para nós, ganharemos mais abrangência e eficiência, pois estamos prestes a concluir a obra do Núcleo de Atendimento Integral (NAI) do Conde, no mesmo local onde realizamos as nossas atividades naquela comunidade. Serão quatro módulos em uma unidade que proporcionará cursos de beleza, habilidades manuais, informática, robótica e programas educacionais.
Outro NAI estará começando as suas atividades em Tambiá. O prédio já está na fase de instalação de equipamentos para funcionarmos através dos sete eixos da Fundação Cidade Viva, de modo similar ao que realizaremos no Conde.

 

 


 

 

ESCOLA INTERNACIONAL

CIDADE VIVA

 

 

Como parte do nosso projeto de educação, surgiu a Escola Internacional Cidade Viva (EICV), ligada ao eixo educacional da FCV, que começou suas atividades em 2010.
A EICV oferece uma educação de excelência, com conteúdos atualizados, didática inova-dora e dinâmica, marcada pela valorização das relações interpessoais e pela presença de recursos tecnológicos avançados no coti-diano dos alunos.
Com o objetivo de incentivar o desenvolvimento integral dos alunos, a EICV utiliza métodos e programasrevolucionários de aprendizagem que proporcionam resultados comprovados cientificamente, por meio do aumento do desempenho integral dos alunos.
Algumas das estratégias de ensino-aprendizagem que estão inclusas no currículo da EICV e em suas oficinas opcionais são: o ensino em tempo integral (manhã e tarde), o ensino bilíngue, no qual a língua inglesa faz parte da rotina das aulas, e a ética cristã, abordada diariamente, através de devocionais e vivenciada em assuntos interdisciplinares.

 

 

 

 

 

RESTAURANT & CAFFETERIA CIDADE VIVA

 

 

Vinculado aos métodos de aprendizagem revolucionários da Escola Internacional Cidade Viva, surgiu, em 2010, um projeto de educação nutricional que culminou na construção de um restaurante prioritariamente dedicado à promoção da saúde e qualidade de vida dos alunos através de seus hábitos alimentares. Na EICV, o aluno aprende, desde cedo, a escolher as melhores opções nutricionais e a cuidar da própria saúde, com suporte de uma nutricionista educacional. Fora do horário escolar, o Restaurant & Caffeteria Cidade Viva oferece lanches e refeições deliciosas aos frequentadores do Centro de Convenções Cidade Viva.

 

 


 

 

 

 

REDE CIDADE VIVA DE TELEVISÃO

 

 

Visando suprir uma necessidade de divulga-ção dos valores cristãos, através de uma pro-gramação dinâmica, inteligente e comprometida com os desafios do mundo atual, surgiu em 2010, a Rede Cidade Viva de Televisão (RCV), exibida inicialmente na TV a cabo JET, canal 3 com transmissão também através internet pela ferramenta Web TV no portal Cidade Viva.
O maior diferencial da Rede Cidade Viva é a sua estreita ligação com os projetos sociais da Fundação Cidade Viva, que tem sido um marco na história da cidade de João Pessoa e vem plan-tando sementes para a expansão de seus valores e objetivos institucionais para o Brasil e o mundo. Unindo tecnologia digital e um grupo de colaboradores que ama o que faz, a Rede Cidade Viva é muito mais do que uma televisão, é um estilo de vida que toca corações e mentes, gerando a transformação e promovendo a dignidade das pessoas que são alcançadas por sua programação.

 

 


 





AJUDE A EDIFICAR A CIDADE VIVA


Associação Evangélica 1ª Igreja Batista do Bessamar
Sede: Rua Luzia Simões Bertolini, 100
Bairro: Aeroclube
CEP: 58036-630
João Pessoa – PB – Brasil
CNPJ 06.014.769/0001-45
Telefone: (83) 3041-7471
Bradesco Ag. 1104-5 C/C 12-4
Banco Brasil Ag. 3165-8 C/C 8723-8
Fundação Cidade Viva
Sede: Rua Luzia Simões Bertolini, 100
Bairro: Aeroclube
CEP: 58036-630
João Pessoa – PB – Brasil
CNPJ 09.491.298/0001-54
Telefone: (83) 3041-7471
Bradesco Ag. 1104-5 C/C 10-8
Banco Santander Ag. 3857 C/C 130003761


R. Luzia Simões Bartoline,100 - Aeroclube - João Pessoa - PB - CEP: 58036-630 - Fone: 3041-7471 - E-mail: cidadeviva@cidadeviva.org
Todos os direitos reservados - 2010© Cidade Viva - Cidade Criativa